GRSA

É possível ter uma vida saudável durante as férias?

Encontros de final de ano, festas e as tão sonhadas férias! Esse período traz consigo a correria para deixar tudo certo para o novo ano, além de diversas comemorações com a família e amigos.

De acordo com a médica da família, Márcia Simões, o abuso tanto de álcool, quanto de alimentos, pode trazer diversos malefícios para a saúde. “Sair da rotina de vez em quando é normal, mas passar 30 dias fora da rotina pode acarretar problemas para a saúde, e para todo o trabalho que foi feito durante o ano para perder peso, por exemplo”, alerta.

Hábitos saudáveis
Márcia lembra que o ideal é manter os hábitos saudáveis, mesmo durante as férias. “Praticar exercícios, ter uma alimentação equilibrada e não abusar das bebidas alcoólicas garantem um corpo em harmonia, com boa imunidade e com um dia a dia mais saudável e prazeroso”, explica.

Na alimentação, a dica é priorizar os alimentos naturais, menos industrializados, comer quando sentir fome, evitar o açúcar e beber muita água. Segundo a especialista, alguns dias sem a ingestão de açúcar, por exemplo, já proporcionam uma melhora do organismo em geral, como redução de peso e diminuição da vontade de comer após a primeira semana do novo hábito.

Bebidas alcoólicas
O hábito de ingerir bebidas alcoólicas também traz muitos malefícios ao organismo. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro do Fígado (Ibrafig) mostra que 55% da população brasileira tem o hábito de consumir bebidas alcoólicas e o abuso foi relatado por 18,8% dos brasileiros entrevistados.

“A ingestão de bebidas alcoólicas pode provocar alterações no cérebro, câncer, problemas hepáticos, como a cirrose, alterações cardiovasculares e até infertilidade. Por isso, é importante evitar ou consumir moderadamente essas bebidas”, reforça a especialista.

Atividades físicas
A médica lembra, ainda, que esse período pode ser ótimo para conhecer um novo esporte e se desafiar. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 5 milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas se a população global fizesse mais exercícios.

“Os exercícios liberam endorfina, que regula as emoções e traz bem-estar, além de ajudar no controle da ansiedade, melhorar o sono, aumentar a imunidade e o funcionamento do intestino”, finaliza.