GRSA

BLOG GRSA

Motivos para diminuir o consumo de açúcar

Não é segredo que o açúcar, em excesso, especialmente o refinado, pode ocasionar graves problemas para o organismo. Ainda assim, muitas pessoas têm dificuldade em adequar a alimentação para reduzir a quantidade consumida diariamente.

De acordo com a nutricionista clínica da GRSA|Compass, Bianca Umbelino de Souza, o excesso de açúcar contribui não apenas para diabetes e obesidade, mas cáries e pressão alta, baixa imunidade, infecções fúngicas, acne e alergias, entre outros.

“Os principais benefícios de uma dieta sem açúcar são a manutenção ou redução do peso, melhor controle da glicemia e menos ocorrências de infecções fúngicas, além da melhora da microbiota intestinal, da imunidade e da saúde como um todo”, explica a especialista.

Treine o paladar
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), no máximo 10% das calorias diárias devem ser provenientes do consumo de açúcar. Em uma dieta de 2000 calorias, seria o equivalente a 50g de açúcar por dia.

Por se tratar de uma questão de hábito, a recomendação dada pela nutricionista é fazer um uma redução progressiva da quantidade, treinando o paladar.

“Prefira comer frutas ao invés de fazer suco e acrescente canela no café, em chás e em frutas cozidas. Com o tempo, o açúcar será usado de forma controlada e só quando for necessário”, explica.

Leia rótulos
Alimentos prontos – como bolachas, sucos de caixinha e congelados – têm elevada concentração de açúcar. Por isso, não basta atentar apenas para o açúcar adicionado nos preparos, é importante observar os rótulos dos alimentos. Ao criar consciência sobre a quantidade recomendada, a compra de produtos com excesso de açúcar tende a diminuir.

“Ao ler rótulos, é possível fazer escolhas melhores, com foco na melhoria da saúde e da qualidade de vida”, diz Bianca.

Modere o uso de adoçantes
A substituição do açúcar pelo adoçante também deve ser feita de forma moderada. Os adoçantes mais utilizados são produzidos de forma artificial e, por isso, contam com compostos que o corpo precisa metabolizar, mesmo tendo menos calorias.

“Prefira sempre açúcar de coco, demerara ou mascavo, que passaram por um refino leve ou, no caso do de coco e do mascavo, que não são refinados, preservando alguns nutrientes. Diabéticos não podem consumi-los, mas podem optar por adoçantes naturais, como o xilitol e a stevia”, finaliza.